• gallery

COMPARATIVO DE SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO COMBUSTÍVEL OCA1 POR ÓLEO DE XISTO OTE

COMPARATIVO DE SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO COMBUSTÍVEL OCA1 POR ÓLEO DE XISTO OTE

ARMAZENAMENTO

            Na utilização do OC A1, BPF, normalmente os tanques de armazenamento são providos de um sistema  para aquecimento, com objetivo de manter o produto em condições de bombeamento para transferência aos locais de consumo. Usualmente estes tanques são mantidos a uma temperatura de 60º C, através de aquecimento elétrico ou vapor.

             Próximo ao ponto de consumo é mantido um tanque de serviço aonde o combustível é estocado num nível de temperatura mais alto, em torno de 90º C, com o objetivo de pré-condicionar o produto numa condição ideal de viscosidade para a queima. Após este tanque de serviço a viscosidade do óleo é reduzida aos níveis de projeto do queimador por intermédio de um pré-aquecedor que também opera através de resistências elétricas que elevam a temperatura do OC A1 até aproximadamente 120º C.

            Na mesma instalação descrita acima, a utilização do Óleo de Xisto OTE, é feita de maneira muito mais simples, pois este combustível não necessita de qualquer aquecimento para transporte, podendo até ser descarregado por gravidade quando se tratar de instalações que possuam tanque subterrâneo, bem como o  armazenamento é  mantido a temperatura ambiente devido ao ponto de fluidez típico do  produto, que fica em torno 0º C, dispensando até  maiores cuidados para  pré-operação dos equipamentos nos períodos que antecedem a operação do anel de óleo combustível.

queimadores

As facilidades de transporte, armazenamento, manuseio e condicionamento para queima acabam resultando em vantagens de segurança, manutenção e por consequência uma redução nos custos operacionais: energia elétrica ou vapor para aquecimento, intervenção da manutenção nos casos de congelamento de linhas para possibilitar bombeio, limpeza de filtros, desobstrução de bicos injetores de combustível.

COMPARATIVO DO COMPORTAMENTO DE COMBUSTÃO

comparativo combustão

Em função das características dos óleos combustíveis de alta viscosidade, geralmente são utilizados aditivos que reduzem a viscosidade do produto e que podem reduzir a emissão de material particulado. Já os óleos combustíveis de xisto possuem naturalmente uma baixa viscosidade o que implica em maior facilidade de pulverização do produto, menor diâmetro de partícula, possibilitando uma queima com maior rendimento e menor geração de produtos não queimados. Na abertura dos equipamentos, caldeiras, após longa campanha operacional, o que constatamos apenas, quando da utilização do Óleo de xisto, é a presença de cinzas praticamente isentas de resíduos não queimados.

foto

              Vista parcial da câmara de reversão dos gases de combustão, da fornalha para o primeiro passe de tubos em uma caldeira  que opera com Óleo de Xisto

          Comparativamente as emissões de gases ácidos provenientes da queima também são menores no Óleo de Xisto em relação ao OC A1. Este diferencial contribui para um menor impacto ambiental, atmosfera menos agressiva, corrosiva, nas imediações das instalações das instalações.

            Pelo que foi exposto são várias as vantagens que podemos obter com a utilização do Óleo de Xisto:

 

Vantagens técnicas:

  • Produto altamente fluido, escoa com facilidade, dispensando o aquecimento para transporte e descarregamento o que torna mais fácil e seguro o seu manuseio;
  • Redução nas intervenções de parada para limpeza e desobstrução de linhas, válvulas, bombas, bicos atomizadores e outros acessórios dos queimadores;

foto1

 

  • Aumento de vida útil das bombas devido ao baixo teor de sedimentos associado a baixa viscosidade do óleo;
  • Redução de custo pela eliminação do uso de aditivos;
  • Dispensa o uso de solventes/diluentes para limpeza de linhas, se mantendo altamente fluido, mesmo nas paradas prolongadas;

Vantagens ambientais:

  • Minimiza a corrosão em dutos e chaminés, reduz a  agressividade  da atmosfera nas imediações das instalação de consumo, devido ao baixo teor de enxofre;
  • Reduz a emissão de fumaça escura fuligem e a  formação de coque,    por não conter,  tal qual os óleos combustíveis provenientes do petróleo. A fuligem nada mais é do que combustível não queimado.

 

Vantagens de segurança:

  •    Apesar de ser um combustível mais leve em relação ao OCA1, a sua utilização é feita em temperatura abaixo do ponto de fulgor, o que reduz substancialmente os riscos incêndio provocado pela vaporização de frações leves.

 

Óleo combustível de Xisto - OTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *